Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76
Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76

Variedades Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021, 17:40 - A | A

Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021, 17h:40 - A | A

CUIDADO DOBRADO

Introdução precoce nos esportes tem aumentado lesões e traumas em crianças

Fraturas podem ser muito sérias e têm chance de deixar sequelas

Assessoria de Imprensa

A introdução cada vez mais precoce das crianças nos esportes de competição é a principal causa de lesões e traumas, levando a um aumento na incidência de consultas decorrentes de machucaduras esportivas em pacientes que se encontram em fase de amadurecimento esquelético. Mais vulneráveis a algumas delas, as crianças e os adolescentes podem sofrer com a sobrecarga repetitiva nas articulações e musculatura em desenvolvimento podem gerar danos em regiões de origem ou inserção muscular e até mesmo nas zonas de crescimento ósseo, especialmente dos joelhos, quadris, cotovelos e punhos.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)
Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, regional Mato Grosso (SBOT-MT), Dr. Vitor Spalatti, independentemente da idade, os praticantes de atividades físicas estão suscetíveis a uma série de agravos, seja por esforços excessivos ou até mesmo pela prática errônea, sem auxílio profissional.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

“Algumas lesões são específicas de um esqueleto ainda imaturo, das crianças ainda em fase de desenvolvimento. Sendo as fraturas do punho e mãos as mais comuns e o dedo mínimo o mais impactado em todas as faixas etárias”, detalha o médico ortopedista.

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)
Os ossos infantis possuem algumas características que os diferem do esqueleto adulto, como o aspecto de maior elasticidade e porosidade, periósteo (membrana que envolve o osso) mais resistente e presença das cartilagens de crescimento (local onde o osso cresce).

A cartilagem de crescimento, também conhecida como placa epifisária ou fise, é uma estrutura presente nas extremidades dos ossos longos, sendo seus arredores uma zona de fragilidade, na qual a maioria das fraturas das crianças acontece. Esse é o motivo pelo qual as lesões e traumas ocorridas durante atividades esportivas despontam como a segunda principal causa de visitas em atendimentos de emergência para crianças e adolescentes.

“É importante ficar alerta e buscar um médico especialista, pois muitos pacientes e médicos deixam de realizar o tratamento correto para as fraturas dessa região na expectativa de que o crescimento possa corrigir as possíveis deformidades”, finaliza Dr. Vitor.

Em caso de dores, quedas ou lesões, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia orienta a busca por um médico ortopedista titular SBOT. A instituição é responsável por congregar especialistas em Ortopedia e Traumatologia, promovendo responsabilidade e condições para atualização permanente dos profissionais.

Localize um ortopedista SBOT no site oficial da sociedade: www.sbotmt.org.br

search