Dollar R$ 5,17 Euro R$ 5,61
Dollar R$ 5,17 Euro R$ 5,61

Política Quinta-feira, 07 de Março de 2024, 10:57 - A | A

Quinta-feira, 07 de Março de 2024, 10h:57 - A | A

MORTES EM TREINAMENTO

VÍDEO: Botelho critica inércia de comandante dos Bombeiros: "tem que ter responsabilidade"

Presidente da Assembleia demonstrou ser favorável à ideia de registrar em vídeo os cursos de formação de bombeiros

Gabriel Soares

Editor-Chefe | Estadão Mato Grosso

Fernanda Leite

Repórter | Estadão Mato Grosso

O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (União), fez duras críticas ao comandante-geral do Corpo de Bombeiros em Mato Grosso, coronel Alessandro Borges, devido à morte do aluno Lucas Veloso Perez, de 27 anos, durante o curso de formação de soldados. Segundo Botelho, o coronel está inerte nessa situação e não teria tomado nenhuma providência sobre o caso.

“O comandante do Bombeiro tem que tomar providência. Ele tá inerte nisso, tá quieto, não tá tomando providência nenhuma. O coronel Alessandro tem que tomar providência, ele não se manifestou. Tem que se manifestar sobre isso e criar uma responsabilidade sobre isso”, disparou o presidente da Assembleia.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Botelho também demonstrou ser favorável ao projeto de lei que está sendo gestado pelo deputado estadual Júlio Campos (União), a pedido da família de Lucas Veloso, para que os cursos de treinamento dos Bombeiros passem a ser registrados em vídeo.

“Eu acho que tem que ser tomada alguma medida, porque quem está ali fazendo treinamento tem que ter alguma responsabilidade. Se ele não tem responsabilidade com uma pessoa que ele tá tratando, como que ele vai socorrer uma vida e as pessoas vão colocar a vida na mão de um capitão desses, por exemplo. Não tem lógica, né?!”, comentou.

Por fim, o presidente da Assembleia deu uma alfinetada no comando do Corpo de Bombeiros, ao lembrar, sem citar o nome, do caso da tenente Isadora Ledur, que esteve envolvida na morte do aluno Rodrigo Claro durante um treinamento na mesma Lagoa Trevisan, onde Lucas Veloso morreu. Mesmo sem citar o nome, Botelho lembrou que a tenente foi inocentada e promovida pelo Corpo de Bombeiros.

“Ele tava ali vendo que a pessoa está morrendo e não socorrer? Tem que ter responsabilidade em cima disso. E depois, é promovido ainda. Não dá”, afirmou.

search