Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76
Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76

Cidades Domingo, 19 de Maio de 2024, 09:03 - A | A

Domingo, 19 de Maio de 2024, 09h:03 - A | A

ÚLTIMO ADEUS

VÍDEOS: Amigos, alunos e familiares se despedem de professor assassinado por adolescentes

Nas redes sociais, homenagens evidenciam o impacto positivo que Celso teve na vida de muitas pessoas

Da Redação

Redação | Estadão Mato Grosso

Sob forte comoção, o professor Celso Gomes, de 60 anos, foi sepultado na tarde deste sábado, 18 de maio, no Cemitério Parque Bom Jesus, em Cuiabá, uma semana após seu corpo ser encontrado nas proximidades da Lagoa Trevisan. A cerimônia de despedida contou com a presença de familiares, amigos, alunos e ex-alunos, que prestaram suas últimas homenagens ao professor.

O corpo de Celso foi liberado na sexta-feira, 17, após a realização do exame de necropsia. No mesmo dia, uma missa em sua homenagem foi realizada no Colégio Salesiano Santo Antônio, onde Celso trabalhou por 20 anos. Durante a cerimônia, alunos emocionados colocaram sobre o caixão uma bandeira do Vasco da Gama, time do coração do professor.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Nas redes sociais, inúmeras mensagens de despedida e homenagens foram compartilhadas por alunos e colegas, evidenciando o impacto positivo que Celso teve na vida de muitos.

SOBRE O CASO

Celso Gomes desapareceu no dia 3 de maio, uma sexta-feira, após sair para visitar sua chácara em Santo Antônio do Leverger. Ele não foi mais visto desde então, gerando grande preocupação entre seus familiares e amigos.

No dia 7 de maio, o carro de Celso, um VW Gol branco, foi encontrado sujo e com marcas de batidas nas laterais, em um terreno baldio próximo ao bairro Santa Terezinha. Próximo ao veículo foram encontradas provas aplicadas pelo professor. Dois cartões bancários em nome dele foram localizados na região do Parque Cuiabá.

Três dias depois, o corpo de Celso foi encontrado carbonizado próximo à Lagoa Trevisan. No mesmo dia, quatro suspeitos de envolvimento no crime foram presos. Um deles, um adolescente de 17 anos, confessou ter matado o professor por asfixia após aceitar uma carona. Em depoimento, ele relatou que, junto com um amigo de 16 anos, escondeu o corpo do professor e ateou fogo.

Os dois menores foram indiciados por ato infracional análogo a homicídio e ocultação de cadáver. Eles estão internados em uma unidade socioeducativa. Outros dois suspeitos de participação no crime continuam sendo investigados. Eles foram liberados após prestarem esclarecimentos à polícia, que não encontrou provas suficientes para mantê-los presos.

VEJA OS VÍDEOS

search