Dollar R$ 5,12 Euro R$ 5,56
Dollar R$ 5,12 Euro R$ 5,56

Política Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2022, 10:25 - A | A

Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2022, 10h:25 - A | A

CONFIRA A LISTA

VÍDEO: Lula anuncia nomes de cinco ministros de seu governo

Rafael Machado

Repórter | Estadão Mato Grosso

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou, durante coletiva nesta sexta-feira, 09 de dezembro, os primeiros nomes que irão ocupar seu staff.

Lula confirmou Fernando Haddad (PT) como ministro da Fazenda, Rui Costa (PT) como chefe da Casa Civil, José Múcio como ministro da Defesa, Flávio Dino (PSB) no comando da pasta da Justiça e Mauro Vieira no Ministério das Relações Exteriores.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Ele comunicou que na próxima semana vai anunciar outros membros de sua equipe.

Durante a coletiva, o presidente eleito disse que na próxima semana, a equipe de transição deve apresentar os relatórios na próxima terça-feira (13).

"É muito importante que vocês tenham claro que quando a transição terminar nós vamos tentar com a maior seriedade e com a maior sobriedade apresentar para a sociedade brasileira o que nós encontramos como resultado do atual governo. Vamos mostrar sem precisar fazer um show de pirotecnia, nós não queremos isso, nós queremos é que a sociedade brasileira sabia corretamente como é que está a saúde, como é que está a educação, como é que está o SUS, como está a Ciência e Tecnologia, como está a situação dos aposentados e dos trabalhadores. Se não apresentarmos agora seis meses depois estará nas nossas costas os desmandos feitos pelo atual governo", destacou.

Lula ainda fez críticas à gestão do atual presidente Jair Bolsonaro (PL) que, segundo ele, é um "governo com corpo muito grande e a cabeça muito pequena" e preferiu fazer "fanfarrice" ao invés de resolver os problemas do país.

Ele ainda agradeceu aos senadores que aprovaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de Transição, que garante a manutenção do programa social Auxílio Brasil, antigo Bolsa Família.

"Não é uma PEC do governo Lula, ou do futuro governo, é uma PEC do governo Bolsonaro, porque essa PEC é para resolver um problema do orçamento que ele não colocou dinheiro, para resolver os problemas sobretudo a manutenção dos R$ 600 milhões, de um programa que volta a ser chamado de Bolsa Família, e mais R$ 150 para crianças até seis anos de idade", explicou.

 
VEJA A COLETIVA:
search