Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76
Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76

Política Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2022, 12:14 - A | A

Quinta-feira, 01 de Dezembro de 2022, 12h:14 - A | A

NOVELA DA PREVIDÊNCIA

Governador diz já ter feito tudo que podia em relação aos aposentados

Aposentados aguardam ansiosos pela aprovação do texto, que deve amenizar o impacto da reforma da previdência

Rafael Machado

Repórter | Estadão Mato Grosso

Felipe Leonel

Repórter | Estadão Mato Grosso

O governador Mauro Mendes (União Brasil) afirmou que o Governo do Estado já fez tudo que era possível em relação à contribuição dos aposentados com a previdência estadual. Os aposentados e pensionistas reclamam do ‘confisco’ dos recebimentos, o que tem levado muitos ao endividamento e problemas com a saúde mental.

Mauro disse que o governo já fez as concessões e que a gestão deve olhar para todos os mato-grossenses e não apenas para os servidores.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

“Esse tema da PEC da Previdência já foi discutido uma vez, foi aprovado alguns ajustes que nós fizemos, pediram ajustes e nós fizemos. Tem que ter limite, tem que parar com isso. O governo já cedeu tudo que podia ceder, não podemos mais ceder, porque o nosso dever é olhar para a grande maioria dos mato-grossenses”, disse o gestor.

Mauro ainda fez uma comparação das aposentadorias do setor privado e do setor público e disse que se “fazer um pouquinho de conta, vai ver que o governo está correto”.

Caso não haja acordo, o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (União Brasil), já disse que vai colocar a proposta em votação do jeito que está e a situação só deve ser resolvida na Justiça. O presidente do Parlamento apresentou uma proposta para isentar quem recebe até 4 salários mínimos.

O CASO

A Assembleia Legislativa aprovou em 2020 a reforma da previdência, que aumentou a alíquota dos aposentados e pensionistas do Estado de 11% para 14%. A lei isentou deste reajuste os inativos com rendimentos de até R$ 3,3 mil, que se mantiveram no desconto previdenciário de 11%.

Desde o início do debate o assunto causou desgastes, já que atinge a população em idade não produtiva e, na maior parte, com gastos signioficativos em medicamentos. Diante disso, as lideranças partidárias apresentaram a Proposta de Emenda à Constituição n. 7/2022 (PEC da Previdência) para manter a alíquota em 11% para todos os inativos com rendimentos até o teto do INSS, hoje fixado em R$ 7.082,77.

O governador Mauro Mendes pediu para o texto ser retirado de pauta e a Casa estipulou o dia 30 de novembro para ele apresentar uma contraproposta ao projeto. Contudo, esgotado este prazo, o governador não encaminhou o novo texto.

Diante disso, o presidente da AL, Eduardo Botelho, apresentou uma nova proposta de estender os efeitos àqueles que ganham até quatro salários mínimos.

search