Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85
Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85

Política Segunda-feira, 06 de Dezembro de 2021, 15:19 - A | A

Segunda-feira, 06 de Dezembro de 2021, 15h:19 - A | A

"VAGABUNDOS"

Emanuel concorda com Mendes sobre criadores de fake news

Jefferson Oliveira

Repórter | Estadão Mato Grosso

Felipe Leonel

Repórter | Estadão Mato Grosso

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), disse concordar com o governador Mauro Mendes (DEM) de que quem faz fake news é “vagabundo”. Na última semana, Mauro deu entrevista fazendo críticas a políticos “especialistas” em fake News e que vão às redes sociais xingar adversários. Durante sua fala, Mauro não citou nomes.

Já nesta segunda-feira (6), Emanuel afirmou que também tem sido vítima de fake news após o baixar decreto que proíbe a entrada de não vacinados em hospitais da Capital. A medida vale apenas para profissionais, visitantes e acompanhantes. No entanto, a informação que está se espalhando no interior é de que pacientes estariam sendo recusados.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

“Tenho visto pessoas falando que vem do interior para cá, ‘olha, gente, eu estou grávida, fui ser atendida e não me deixaram porque o desumano prefeito de Cuiabá mandou exigir cartão de vacina’. Pelo amor de Deus, gente, é deplorável!”, disse.

“É vagabundo mesmo quem faz fake news e quem patrocina fake news. Concordo com o governador em gênero, número e grau. Isso é um acinte, é uma violência contra a população” completou.

A medida visa preservar a saúde de quem já está imunizado, incentivar as pessoas que ainda não se vacinaram a procurar os postos de aplicação da vacina e evitar que uma nova onda de covid-19 se propague, uma vez que uma nova variante do coronavírus, denominada Ômicron, foi detectada no Brasil.

Ao tomar a medida, o prefeito argumentou que mais de 50 mil moradores de Cuiabá ainda não tomaram a primeira dose da vacina contra covid e outros 20 mil ainda não compareceram para tomar a segunda dose. Além disso, o prefeito quer universalizar também a imunização de adolescentes de 12 a 17 anos.

search