Dollar R$ 5,60 Euro R$ 6,10
Dollar R$ 5,60 Euro R$ 6,10

Política Nacional Terça-feira, 15 de Dezembro de 2020, 19:58 - A | A

Terça-feira, 15 de Dezembro de 2020, 19h:58 - A | A

Política Nacional

Mulheres que se destacaram na história do Brasil serão homenageadas pela Câmara

Câmara dos Deputados

A Secretaria da Mulher e a Primeira-Secretaria farão nessa quarta-feira (16), às 9h30, o descerramento de placas em homenagem a cinco mulheres que se destacaram na história do Brasil. Elas passarão a dar nome aos seguintes ambientes da Casa:

- O Plenário 11 se chamará Anésia Pinheiro Machado;
- o Plenário 13 de chamará Marília Chaves Peixoto;
- o Plenário 2 se chamará Ceci Cunha;
- o corredor de acesso ao Plenário se chamará Tereza de Benguela.

Também será inaugurada a Ala Celina Guimarães Viana, no Anexo II, onde fica a galeria histórica das deputadas federais.

O evento será coordenado pela deputada Soraya Santos (PL-RJ), primeira-secretária da Câmara. Os projetos de resolução que determinam as homenagens são de autoria da líder da bancada feminina na Casa, deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), e foram aprovados na última quinta-feira (10) pelo Plenário da Câmara.

Sobre as homenageadas:

- Anésia Pinheiro Machado: aviadora que foi proclamada, em 1954, decana mundial da Aviação Feminina pela Federação Aeronáutica Internacional (FAI).

- Ceci Cunha: deputada federal assassinada em 1998, em crime encomendado por seu suplente com o intuito de tomar-lhe a vaga no Parlamento.

- Celina Guimarães Viana: professora, foi patrona do voto feminino no Brasil.

- Marília Chaves Peixoto: matemática e engenheira considerada autoridade mundial na área. A cientista e pesquisadora foi a primeira mulher brasileira a ingressar na Academia Brasileira de Ciências, em 1951, sendo também a primeira mulher membro efetiva da instituição.

- Tereza de Benguela: ícone da resistência negra no Brasil colonial que liderou, durante o século 18, o Quilombo do Piolho - o maior do estado de Mato Grosso -, também conhecido como Quilombo do Quariterê. Sob sua liderança, mais de 200 pessoas das comunidades negra e indígena resistiram à escravidão por décadas.

Da Redação - RS

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

search