Dollar R$ 5,12 Euro R$ 5,56
Dollar R$ 5,12 Euro R$ 5,56

Polícia Quarta-feira, 24 de Abril de 2024, 16:36 - A | A

Quarta-feira, 24 de Abril de 2024, 16h:36 - A | A

ARLEQUINA DO NORTÃO

VÍDEO: Pecuarista dá gargalhadas após matar idosos e tenta atirar em câmera

Inês Gemilaki e o filho, Bruno Dal Poz, foram presos na tarde de terça-feira, 23

Da Redação

Redação | Estadão Mato Grosso

Novas imagens divulgadas nesta quarta-feira, 24 de abril, mostram o momento em que a pecuarista Inês Gemilaki e seu filho, o médico Bruno Dal Poz, saem da casa onde cometeram um duplo homicídio em Peixoto de Azevedo, na tarde de domingo, 21. Inês aparece sorrindo na gravação e aponta uma arma em direção à câmera.

No vídeo (assista abaixo), Inês ainda aponta a câmera para seu filho, que dispara com a espingarda na tentativa de inutilizar o equipamento de segurança. A câmera chega a tremer com o impacto do disparo, mas continua filmando a fuga dos assassinos.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Após matar os dois idosos, Inês e Bruno foram filmados novamente em uma distribuidora de bebidas localizada no município vizinho, Tapurah, enquanto compravam bebidas alcóolicas e água.

Mãe e filho foram presos na tarde de terça-feira, 23, após a advogada deles combinar com a Polícia Civil para que se entregassem. Horas antes, Márcio Ferreira Gonçalves (marido de Inês e padrasto de Bruno) e o seu irmão, Eder Gonçalves Rodrigues, também foram presos pela participação no crime.

SOBRE O CRIME

O duplo homicídio que vitimou Pilson Pereira da Silva, de 80 anos, Rui Luiz Bolgo, de 68 anos, ocorreu durante um almoço no domingo (21.04), em uma residência no bairro Alvorada em Peixoto de Azevedo.

Na ocasião, três pessoas armadas (Inês, Bruno e Eder) invadiram a confraternização e efetuaram vários disparos de arma de fogo, atingido três vítimas, sendo que duas delas não resistiram aos ferimentos e foram a óbito no local. A terceira vítima, padre da cidade, foi socorrida e conseguiu sobreviver aos ferimentos

As investigações apontam que o crime na verdade tinha como alvo o dono da residência onde ocorria a confraternização, que teria feito ameaças públicas contra os investigados, em razão de um processo referente a um contrato de aluguel.

search