Dollar R$ 5,17 Euro R$ 5,62
Dollar R$ 5,17 Euro R$ 5,62

Polícia Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2022, 09:35 - A | A

Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2022, 09h:35 - A | A

MAMOM

Trio que dava golpes de falsa vaga de emprego é preso durante operação

Para dar credibilidade a ação, até exames de sangue para suposta admissão no emprego era feito em uma laboratório da capital

Assessoria | Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Estelionato e Outras Fraudes de Cuiabá, cumpriu 10 ordens judiciais entre mandados de prisão e busca e apreensão, na Operação Mamom, deflagrada na terça-feira (13.12), contra suspeitos de se passarem por funcionários da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) para oferecerem falsas vagas de emprego.

Na operação, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão domiciliares e três pessoas foram presas por mandado de prisão preventiva.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Segundo o delegado Alexandre da Silva Nazareth, os suspeitos ofereciam falsas vagas de emprego em diversas áreas, como professores, monitores, segurança, bibliotecários, entre outros. Aproximadamente 50 pessoas foram vítimas do golpe.

A investigação iniciou em março de 2022, identificando o alvo principal, que se passava por Coordenador da Seduc e se apresentava nas reuniões de arregimentação de novas vítimas acompanhado de um suposto motorista, um suposto segurança, uma suposta secretária.

Para aplicar o golpe, os suspeitos cobravam uma tarifa admissional de aproximadamente R$ 200 de cada vítima pelas vagas, que supostamente seriam em escolas estaduais de Mato Grosso, inclusive no interior do estado. O suposto exame admissional (exame de sangue) era realizado em um laboratório de Cuiabá.

Com a identificação dos envolvidos, foi representando pelos mandados de busca e apreensão e de prisão contra os suspeitos, que foram deferidas pela Justiça e cumpridas na terça-feira (13). Durante as buscas foram apreendidos aparelhos celulares dos investigados, documentos pessoais das vítimas e suposta ficha de inscrição.

“Com a apreensão dos celulares e documentos será possível coletar novas e mais provas contra os investigados que poderão tornar a investigação mais robusta, assim como identificar outros envolvidos nos crimes”, disse o delegado.

search