Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85
Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85

Cidades Quinta-feira, 11 de Novembro de 2021, 21:30 - A | A

Quinta-feira, 11 de Novembro de 2021, 21h:30 - A | A

PANDEMIA EM QUEDA

Várzea Grande não registra mortes por covid há 7 dias

 A cidade já aplicou mais de 417 vacinas contra a doença, o que representa 81,5% da população imunizada

Brenda Closs

Estagiária | Estadão Mato Grosso

Várzea Grande não registra mortes por covid há sete dias, segundo os dados do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso, divulgado nesta quinta-feira (11). O último óbito registrado na cidade foi de um homem de 40 anos, no dia 4 de novembro.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui).

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Durante toda a pandemia, 41.275 várzea-grandensses contraíram o coronavírus. Desses, 39.790 se curaram e 1.423 perderam a vida. No momento, há 37 pessoas internadas e 14 estão sendo monitoradas em isolamento domiciliar. 

A desaceleração da pandemia e a queda no número de mortes e casos confirmados ocorre em todo o estado e é reflexo da vacinação em massa. A cidade já aplicou 186.798 mil vacinas como primeira dose e 195.195 como segunda dose ou dose única, totalizado  417.372 mil vacinas contra a covid-19, o que representa 81,5% da população imunizada.

Além de Várzea Grande, na mesma semana outras quatro cidades do interior de Mato Grosso não registraram óbitos. Foram elas: São José do Rio Claro, São Félix do Araguaia, Primavera do Leste e Alta Floresta. 

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso canal no Telegram e fique sempre informado (clique aqui).

Mesmo com os números caindo, ainda é necessário que a população continue tomando cuidado e respeitando as medidas de biossegurança.

O Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde recomendam que as pessoas continuem usando as máscaras faciais, higienizem as mãos com álcool, evitem levar as mãos ao rosto e, sempre que possível, manter o distanciamento social.

*Estagiária sob a supervisão da editora Cátia Alves

search