Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85
Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85

Cidades Terça-feira, 26 de Outubro de 2021, 20:00 - A | A

Terça-feira, 26 de Outubro de 2021, 20h:00 - A | A

UTILIDADE PÚBLICA

Saiba quais atendimentos não são feitos pela Ouvidoria da Mulher do TJMT

Dani Cunha | TJMT

A facilidade de acesso proporcionada à população pela Ouvidoria da Mulher do Tribunal de Justiça de Mato Grosso permite o recebimento de demandas sobre violência doméstica, questões de gênero, violações dos direitos das mulheres. Para realizar manifestação é preciso saber quais solicitações não são recebidas pelo canal de atendimento.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

A Ouvidoria da Mulher não atende dúvidas a respeito de assunto processual; questões que envolvam atos judiciais contra os quais há meios processuais próprios para impugnação; pedidos sobre informação de processo judicial que tramita em segredo de justiça e manifestações anônimas.

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Algumas atribuições - A Ouvidoria da Mulher recebe informações, sugestões, reclamações, críticas, elogios e denúncias sobre violência doméstica. Pelo canal de atendimento também é possível saber sobre processo que esteja tramitando nas varas de Violência Doméstica.

Contatos – O acesso à Ouvidoria da Mulher pode ser feito pelo aplicativo ClickJud: https://clickjudapp.tjmt.jus.br/ouvidoria-mulher , pelo banner da Ouvidoria da Mulher, na página principal do site do TJMT: http://www.tjmt.jus.br/OutrasAreas/Ouvidoria ou pelo e-mail: [email protected] .

Quebre o Ciclo – Várias ações voltadas ao enfrentamento da violência doméstica e familiar contra a mulher são realizadas na gestão da presidente Maria Helena Póvoas, que tem como uma das bandeiras a equidade de gênero. Uma dessas iniciativas é a campanha “Quebre o Ciclo – A vida recomeça quando a violência termina”, com objetivo de levar informação e mostrar que as mulheres vítimas de violência não estão sozinhas.

Acesse AQUI o hotsite da campanha

 

search