Dollar R$ 5,41 Euro R$ 5,80
Dollar R$ 5,41 Euro R$ 5,80

Cidades Terça-feira, 07 de Dezembro de 2021, 16:39 - A | A

Terça-feira, 07 de Dezembro de 2021, 16h:39 - A | A

IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO

Prefeitura garante consultoria para impulsionar o comércio internacional

Carolina Miranda | Prefeitura de Cuiabá

Cuiabá conta com um novo programa de Importação e Exportação, o IMEX Cuiabá. A iniciativa da gestão Emanuel Pinheiro visa fortalecer as atividades econômicas, principalmente considerando os impactos decorrentes da pandemia causada pelo coronavírus. O lançamento foi realizado na tarde desta segunda-feira (6). O novo programa será executado em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Arco Norte Terminais e o Porto Seco de Cuiabá.

A ação é mais uma iniciativa que integra o programa ‘Pra Frente Cuiabá’ , alicerçado em ações de fomento ao investimento em qualificação e capacitação de empreendedores. “Vivemos um momento ímpar, de expansão, em que os mercados afloram para garantir que Cuiabá atue de forma mais forte, voltando seus olhos para o mercado internacional”, disse o prefeito Emanuel Pinheiro.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

“O programa visa qualificar empresas e identificar produtos e serviços que tenham potencial para importação e exportação e gratuitamente ofertarmos um plano de negócio para os empreendedores, no sentido que eles possam abrir a sua visão e colocar Cuiabá num cenário em nível internacional”, pontuou Pinheiro.

“O que uma empresa precisa ter é uma boa consultoria, e é justamente isso que o IMEX Cuiabá se propõe. Isso é necessário para que ela possa ser assessorada e evitar o erros. Se minimizam os erros, diminuem os riscos, e consequentemente o processo vai fluir mais rápido, o acesso ao mercado será mais rápido e a sua mercadoria chegará com maior brevidade, garante o representante das empresas Porto Seco e Arco Norte, Cristiano Noetzold.

Os processos de importação e exportação devem ser executados em recinto alfandegado, sob a supervisão dos órgãos aduaneiros, Receita Federal, Ministério de Agricultura e Anvisa. Do contrário, não se consegue nacionalizar ou exportar a mercadoria para o exterior.

A UFMT será a responsável pala capacitação e qualificação de todos os empresários que tenham interesse em participar do comércio internacional. “Cabe a nós, enquanto instituição educacional preparar, para que os envolvidos possam ter independência empresarial e consigam fazer uma exportação segura e planejada, assim como aqueles que desejam importar. No IMEX eles encontram esse ambiente, para que as importações e exportações sejam garantidas de forma plena”, disse o diretor Metodológico da UFMT, prfº. Drº, Olivan Rabelo.

“Essa é uma grande oportunidade. Estamos satisfeitos em sermos os primeiros a firmar essa parceria”, elencou o advogado e empresário Gioacchino Granata. O IMEX irá funcionar da seguinte forma, à empresa deve manifestar interesse em participar do programa; a equipe será a responsável por identificar o potencial de exportação do produto ou serviço; As empresas interessadas devem participar de ações de qualificação individuais e coletivas; no caso da Exportação - a empresa recebe planejamento para exportação de um produto e um mercado alvo;

no caso de Importação - a empresa recebe orientações gerais sobre o processo de importação de insumos que fazem parte de seu processo produtivo; Empresa recebe três certificados – IMEX Cuiabá, UFMT e APEX Brasil. E por fim, a empresa interessada participa das ações de promoção comercial com expectativa de iniciar o comércio exterior em até dois anos.

“Essa é a visão do programa Pra frente Cuiabá. É um novo estágio que estamos avançando com a implantação do programa. Válido lembrar que, hoje Cuiabá detém toda estrutura e instrumentos que garantem toda competitividade como o Porto Seco importar e exportar aqui. Temos o maior entroncamento rodoviário com as BR’s 163, 364 e 070. Com a chegada da Ferrovia Vicente Vuolo, garantiremos maior competitividade, em razão de um frete mais barato. O foco inicial são os produtos com valor agregado, não só importando como identificando produtos que possam ser exportados para outros países. Precisamos planejar e pensar Cuiabá para os próximos trinta anos”, finalizou o secretário de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Francisco Vuolo.

search