Dollar R$ 5,11 Euro R$ 5,55
Dollar R$ 5,11 Euro R$ 5,55

Política Domingo, 31 de Março de 2024, 21:03 - A | A

Domingo, 31 de Março de 2024, 21h:03 - A | A

SOLUÇÃO LEGISLATIVA

Após caos em desocupação, AL cria Câmara Setorial para discutir políticas públicas de habitação

A Câmara tem 180 dias para apontar demandas e sugerir soluções

Da Redação

Redação | Estadão Mato Grosso

A Assembleia Legislativa aprovou na última semana, a criação de uma Câmara Setorial Temática para discutir políticas públicas para moradia popular em Mato Grosso. O requerimento é do deputado estadual Wilson Santos (PSD). A Câmara Setorial terá 180 dias, prorrogáveis pelo mesmo período, para apresentar um estudo de demandas e apontar soluções para o tema.

Vale dizer que no final de 2023, o Governo do estado lançou o novo Sistema Habitacional de Mato Grosso (SiHabMT), com o objetivo de garantir moradia própria para 40 mil famílias até o final de 2026. Contudo, o estado enfrenta grande demanda por habitação e conflitos por terras ainda são vistos em todos os municípios.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

A Câmara Setorial quer evitar conflitos e truculência por parte das Forças de Segurança em casos de cumprimento de sentenças de reintegração de posse envolvendo famílias que buscam por moradia. Como exemplo, o requerimento cita a a violência ocorrida no dia 11 de março de 2024 durante desocupação de área na região do Contorno Leste, em Cuiabá, especificamente em uma ocupação denominada Brasil 21.

"Queremos evitar conflitos e aproveitar este programa para transformá-lo em política pública habitacional. Sabemos que a demanda por moradias é muito grande em todo o Estado, principalmente na capital. Vamos ajudar no levantamento desta demanda, acompanhar o cadastramento das famílias e a distribuição de casas para que tudo transcorra da melhor forma e dentro da lei", explicou o deputado Wilson Santos.

"Estamos certos de que o Poder Público tem o dever de garantir moradia digna à população deste rico Estado que não pode ser olhado apenas pelo foco do agronegócio, mas sim, com viés social", completou.

O SiHabMT vai funcionar em parceria com o programa federal Minha Casa Minha Vida, oferecendo subsídio de R$ 20 mil para aquisição dos imóveis.

search