Dollar R$ 5,11 Euro R$ 5,55
Dollar R$ 5,11 Euro R$ 5,55

Polícia Domingo, 11 de Fevereiro de 2024, 08:12 - A | A

Domingo, 11 de Fevereiro de 2024, 08h:12 - A | A

INOCENTE

VEJA VÍDEO: Pai inocenta pastor e descarta assédio a criança de 2 anos em VG

Da Redação

Redação | Estadão Mato Grosso

Pai da menina de 2 anos gravou um vídeo para negar que sua filha tenha sido vítima de uma tentativa de assédio por parte de um pastor na manhã desse sábado, 10 de fevereiro, em Várzea Grande. Imagens de câmera de segurança mostram o homem empurrando uma moto ao lado da garotinha. Porém, ele estava tentando achar os seus responsáveis. 

Segundo o pai, o cachorro da família fugiu e ele foi buscá-lo e nisso, a criança também fugiu. Quando ele voltou não encontrou mais a criança. Ele saiu procurando e a encontrou no colo de uma mulher e o pastor no chão rendido por populares para ser linchado. "Os moradores queriam agredi-los [o pastor] , mas eu pedi para a polícia agir e resolver, foi o que eu fiz. Não aconteceu nada com a minha filha, ele não encostou nela e em nenhum momento, ela está bem.  A gente está esclarecendo porque pesou para o pastor", explicou o pai.  

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Conforme consta no boletim de ocorrência, a polícia recebeu um chamado para comparecer até o endereço onde uma criança teria sido vítima de uma tentativa de estupro. Chegando ao local, foi avistada uma aglomeração de pessoas ao redor do suspeito, que alegou ter sido agredido pelos populares, mas devido ao grande número de pessoas, não foi possível obter muitas informações.

Esclarecimento 

Diante dos noticiários veiculados pela imprensa no dia 10/02/2024, em que imputam ao pastor a prática do crime de “importunação sexual” contra uma menina de 2 (dois) anos, a assessoria jurídica deste acusado, em conjunto com os genitores da criança, vem esclarecer que os fatos alegados trata-se de um equívoco generalizado por má interpretação da real situação.

O acusado é pastor evangélico e estava, sem tocar na criança, acompanhando-a para encontrar o seu pai que havia saído de casa correndo por conta do cachorro que havia fugido. As interpretações e conclusões dadas aos veículos de comunicação é meramente especulativa e temerária.

O genitor da criança, em declaração por vídeo juntamente com o acusado, ressalta o equívoco, afirmando que a criança encontra-se bem e sem qualquer indícios de ter sido agredida ou importunada. Além disso, ficam ambos à disposição das autoridades estatais. 

Fellype da Silva Negrão OAB/MT 29.823

VEJA VÍDEO: 

  

search