Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76
Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76

Polícia Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021, 07:00 - A | A

Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021, 07h:00 - A | A

DADOS ALARMANTES

Roubos em Cuiabá caem 19% em um ano, mas número ainda é alto e preocupa comerciantes

G1

Roubos e furtos que estão sendo recorrentes em estabelecimentos de Cuiabá e Várzea Grande estão preocupando os comerciantes. De janeiro a setembro desse ano, houve uma redução de 19% em roubos na capital. Já em Várzea Grande, no mesmo período, houve uma queda de 16%.

No comércio de Cuiabá de janeiro até setembro desse ano, foram registrados 289 roubos e ano passado, no mesmo período foram 359.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Já em Várzea Grande esse ano foram 116 roubos e no ano passado, eram 138.

Farmácias são os estabelecimentos em que mais ocorrem esses crimes. Uma câmera de segurança flagrou um homem e uma mulher que estavam disfarçando, até que ela pega um produto e coloca na bolsa.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

Em seguida eles vão embora e esse tipo de furto tem sido muito comum na região metropolitana.

Conforme o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos (Sincofarma), Hamilton Domingos Teixeira, o que preocupa são os roubos, aqueles que os criminosos ameaçam as vítimas.

De janeiro a primeira quinzena de outubro desse ano, foram registrados, em Cuiabá 60 roubos a farmácias e seis roubos aconteceram em Várzea Grande.

"O maior prejuízo que está preocupando a gente é o psicológico dos colaboradores porque às vezes não têm o dinheiro em caixa, ficam naquela pressão, ameaçam com armas de fogo ou faca e acabam subtraindo bens de clientes que estão na loja", contou.

Nessa semana, o presidente do sindicato se reuniu com o secretário se segurança pública, Alexandre Bustamante para debater uma forma de coibir esse tipo de crime.

"Estamos traçando estratégias para, de comum acordo e parceira com todo esse segmento, diminuir e quem sabe até encerrar a possibilidade de furto e roubo nessas unidades", disse.

O Yure Miranda tem um mercado há cinco anos no bairro Quilombo, em Cuiabá. Nesse ano ele já perdeu as contas de quantas vezes tentaram invadir o estabelecimento. Na maioria, pelos fundos onde tem até uma telha quebrada por uma das tentativas.

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

"A gente não fica tranquilo quando fecha o estabelecimento. Fica aquela insegurança se está tudo bem", contou.

Pelas grades da frente, os criminosos também já tentaram entrar por isso foi preciso investir em câmeras de segurança, que nos últimos dias gravou um flagrante de um homem na madrugada forçando o portão até ele quebrar. Foi um prejuízo de R$ 600.

"Até encaminhei as imagens para as autoridades, a polícia esteve no local e fizemos o boletim de ocorrência. Fica a despesa mesmo com equipamentos", contou.

search