Dollar R$ 5,57 Euro R$ 6,07
Dollar R$ 5,57 Euro R$ 6,07

Mundo Terça-feira, 02 de Julho de 2024, 13:50 - A | A

Terça-feira, 02 de Julho de 2024, 13h:50 - A | A

MAIOR NA ESCALA

VÍDEO: Furacão Beryl ganha força em pouco tempo e pode ter ventos de até 260 km/h

G1

O furacão "Beryl", que avança pelo Caribe, ganhou força e foi reclassificado como de categoria 5 — a maior na escala. Esta é a primeira vez que um fenômeno do tipo chega ao Caribe em um mês de junho já com essa força, o que fez autoridades preverem uma temporada de furacões severos na região.

O furacão já deixou quatro mortos após tocar o solo, três deles em São Vicente e Granadinas e outro em Granada, ambos países no sudeste do Caribe, segundo autoridades locais.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Classificado pelo Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, na sigla em inglês) como "extremamente perigoso", o Beryl ganhou mais força do que o inicialmente previsto e com mais velocidade, e pode atingir ventos de até 260 km/h.

O Beryl tocou solo na segunda-feira (1º) na ilha de Carriacou, em Granada. Logo depois, passou por São Vicente e Granadinas e Barbados. Agora, segundo um boletim do NHC desta terça-feira (2), se aproxima da Jamaica, onde deve passar na quarta-feira (3).

Durante a semana, o furacão continuará avançando pelo Caribe em direção à costa do México. No entanto, as autoridades projetam que o fenômeno perca força ao longo dos dias. Ainda assim, alertas foram emitidos para o Haiti, as Ilhas Cayman, Belize e para cidades que estão no sudoeste do Golfo do México.

O Beryl é o primeiro da temperada de furacões na região -- que geralmente vai de julho a setembro -- e o maior já registrado em um mês de junho na história do Caribe.

O furacão começou a se formar na última semana como uma instabilidade e foi ganhando força. 

Segundo o NHC, uma tempestade tão poderosa no início da temporada de furacões, que vai de junho ao final de novembro no Atlântico, é extremamente rara.

Especialistas afirmam que o Beryl ganhou essa proporção em tão pouco tempo por causa das águas ferventes do oceano. As temperaturas na região onde a tempestade se formou estão até 3°C acima da média.

No fim de maio, a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) já havia adiantado que a temporada de furacões deste ano seria "extraordinária", com até sete tempestades de categoria 3 ou superior.

search