Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85
Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,85

Mundo Terça-feira, 09 de Novembro de 2021, 17:49 - A | A

Terça-feira, 09 de Novembro de 2021, 17h:49 - A | A

PRISÃO PERPÉTUA

Enfermeira matava pacientes injetando desinfetante neles

g1

Uma enfermeira que matou três pacientes ao contaminar seus soros intravenosos com desinfetante foi condenada à prisão perpétua nesta terça-feira (9) no Japão.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Ayumi Kuboki, de 34 anos, admitiu ter matado os pacientes, que tinham entre 70 e 80 anos, durante o julgamento. Os assassinatos ocorreram há cinco anos e chocaram o país.

Ela chegou a afirmar à polícia que matou 20 pessoas em dois meses, mas depois disse aos promotores que não falaria sobre o fato durante o julgamento.

Prisão perpétua ou pena de morte?
O juiz do tribunal distrital de Yokohama, responsável pelo caso, afirmou ter considerado a hipótese de condenar Kuboki à morte.

"Ela disse que se arrepende e quer pagar por seu crime. Há uma possibilidade de que ela se reabilite", disse o juiz ao desistir da pena capital.

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso canal no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

O Japão é um dos poucos países desenvolvidos que ainda aplicam a pena de morte — e ela tem grande apoio popular, apesar das críticas internacionais.
Mais de 100 pessoas aguardam na fila para serem executadas atualmente.

'Matou pessoas inocentes'
Os promotores haviam pedido a pena capital para Kuboki, enquanto seus advogados defenderam que ela sofria de depressão devido ao estresse pela morte dos pacientes.

Segundo a emissora pública japonesa NHK, o filho de uma das vítimas discordou da decisão. "Ela matou pessoas inocentes por motivos egoístas e não foi condenada à morte. Está errado".

search