Dollar R$ 5,17 Euro R$ 5,61
Dollar R$ 5,17 Euro R$ 5,61

Judiciário Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2022, 21:04 - A | A

Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2022, 21h:04 - A | A

RECONDUÇÃO ÚNICA

STF define reeleição única na presidência da AL e enterra sonho de Botelho de poder perpétuo

Rafael Machado

Repórter | Estadão Mato Grosso

O Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que deputados estaduais só podem se reeleger uma única vez ao mesmo cargo na mesa diretora das Assembleias Legislativas. A decisão foi fixada durante julgamento nesta quarta-feira, 7 de dezembro, e inclui Mato Grosso, cuja Casa hoje é comandada pelo deputado Eduardo Botelho (União Brasil), já em seu terceiro mandato como presidente.

A regra não é supresa para o parlamentar. Interessado em disputar um quarto mandato à frente da Casa, Botelho encaminhou uma consulta ao Supremo para verificar a possibilidade. Ele já havia recebido a resposta de que não poderia assumir um quarto mandato como presidente.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Por maioria, os ministros entenderam que só cabe uma reeleição ou recondução dos membros das mesas, independentemente de os mandatos consecutivos se referirem à mesma legislatura. Além disso, ficou definido que a proibição se aplica apenas à reeleição ao mesmo cargo e não impede o deputado concorrer a outra vaga distinta.

Uma Ação Direta de Inconstitucionalidade protocolada pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, questionando sobre o tema no estado, continua tramitando no Supremo Tribunal Federal. Aras alega ser inconstitucional dispositivos na Constituição do Estado que permitem a reeleição de membros da mesa diretora da Assembleia para o mesmo cargo dentro da mesma legislatura.

“[…] ao permitirem que integrantes da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso sejam reeleitos para o mesmo cargo em eleições subsequentes dentro de uma mesma legislatura, terminaram por vulnerar os princípios republicano (art. 1º, caput, da CF) e do pluralismo político (art. 1º, V, da CF) e, ainda, o art. 57, § 4º, da CF, que impede a recondução de membros da mesa diretora das casas legislativas do Congresso Nacional na mesma legislatura”, diz trecho do documento.

Eleição

Botelho consultou ao STF com receio de repetir o mesmo que aconteceu no ano passado, quando o Supremo determinou a suspensão e posse dos eleitos da Mesa Diretora para o biênio 2021/2022.

A recondução de Botelho, pela terceira vez consecutiva, foi considerada inconstitucional na época, mas um ano depois, conseguiu retornar à função.

Com a resposta negativa, ele anunciou aos seus apoiadores sua desistência. A decisão deu força à candidatura de Max Russi (PSB), atual primeiro-secretário, que busca conseguir a cadeira de presidente.

Russi deve ter como adversário o ex-governador e deputado estadual eleito Júlio Campos (União), que articula a construção de uma chapa para concorrer a Mesa Diretora.

A eleição será realizada no dia 1° de fevereiro, logo após a posse dos parlamentares.

search