Dollar R$ 5,12 Euro R$ 5,56
Dollar R$ 5,12 Euro R$ 5,56

Judiciário Quarta-feira, 13 de Março de 2024, 07:23 - A | A

Quarta-feira, 13 de Março de 2024, 07h:23 - A | A

OPERAÇÃO GRAVATAS

Advogados e PM envolvidos com o Comando Vermelho passam por audiência de custódia

Quatro permaneceram presos

Da Redação

Redação | Estadão Mato Grosso

Cinco alvos da Operação Gravatas, deflagrada pela Polícia Civil, passaram por audiência de custódia na tarde desta segunda-feira (12). Dos cinco envolvidos, incluindo um policial militar, quatro permaneceram presos enquanto o último alvo teve a prisão convertida em domiciliar. As audiências de custódia foram realizadas em Cuiabá e Várzea Grande.

Conforme informações, os advogados Hingritty Borges Mingotti e Tallis de Lara Evangelista foram ouvidos em Cuiabá e tiveram suas prisões mantidas. A decisão foi do juiz plantonista Jean Garcia de Freitas Bezerra, da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, que apenas verificou a legalidade da prisão, decretada por outro juízo.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Em Sinop, o advogado Roberto Luís de Oliveira e o policial militar Leonardo Qualio tiveram suas prisões em flagrante convertidas em preventivas. A decisão é do juiz Anderson Clayton Dias Batista, da 5ª Vara Criminal de Sinop.

Já a advogada criminalista Jéssica Daiane Maróstica, que teve R$ 100 mil apreendido em sua casa, teve sua prisão em flagrante convertida em domiciliar.

Leia mais sobre a operação gravatas, que descobriu uma ligação de advogados com o Comando Vermelho, clicando aqui: De fortuna escondida a centena de clientes do CV, veja mais sobre advogados presos

Ao todo, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, oito quebras de sigilo e oito buscas e apreensões nos municípios de Cuiabá, Itanhangá, Sinop e Várzea Grande.

search