Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76
Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76

Polícia Terça-feira, 12 de Março de 2024, 14:17 - A | A

Terça-feira, 12 de Março de 2024, 14h:17 - A | A

OPERAÇÃO GRAVATAS

De fortuna escondida a centena de clientes do CV, veja mais sobre advogados presos

Da Redação

Redação | Estadão Mato Grosso

A operação Gravatas, deflagrada nesta terça-feira (12), trouxe à tona a identidades de dois advogados filiados ao Comando Vermelho. Os juristas foram identificados como Roberto Luís de Oliveira e Jéssica Daiane Maróstica, advogada criminalista. Os mandados de prisão contra os dois foram cumpridos em Sinop (480 km de Cuiabá). Na casa de Daiane foi descoberta uma pequena fortuna de R$ 100 mil em dinheiro escondido. Já Roberto foi destaque na operação por ter atuado na defesa de 168 membros da facção.

Imagens, divulgadas pela Polícia Civil, mostram que o dinheiro apreendido com Jéssica estava em sacolas plásticas, guardado na gaveta de um armário. Não há confirmação se o montante era em parte ou inteiramente oriundo da associação com a facção.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Da parte de Roberto, que foi alvo da investigação durante dois anos, os policiais contabilizaram que o jurista atuou na defesa de 205 casos. Desses 205, 168 eram membros do Comando Vermelho com envolvimento por tráfico de drogas, roubos, homicídios, ou seja, 81,95% de criminosos violentos.

“Demonstra-se, assim, mais um indício de que a braço jurídico existe para atender ao interesse da organização criminosa”, destacou Guilherme Pompeo, delegado do município de Tapurah e responsável pela operação.

LEIA MAIS AQUI: Advogados ligados ao CV investigavam alvos para torturas em MT

Álbum de fotos

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Reprodução

search