Dollar R$ 5,60 Euro R$ 6,10
Dollar R$ 5,60 Euro R$ 6,10

Economia Terça-feira, 17 de Novembro de 2020, 07:30 - A | A

Terça-feira, 17 de Novembro de 2020, 07h:30 - A | A

PARTIU PRA ROÇA

Turismo rural surge como opção em Mato Grosso

Priscilla Silva

Pequenos vilarejos, comunidades e fazendas tornaram-se refúgios seguros em época de pandemia, além de uma fonte de renda complementar para quem vive do campo. Enquanto a maior parte do turismo ainda sofre com os impactos da crise causada pela pandemia de covid-19, o segmento rural e ecológico tem ganhado espaço no país. Um dos estados com grande potencial no ramo é Mato Grosso, que tem registrado aumento na demanda por capacitação na área.

Locais fechados que propiciam aglomerações estão fora da lista do roteiro de viagens e lazer de muitas famílias nas férias deste ano. Espaços ao ar livre e próximos às grandes cidades passaram a ser uma alternativa acessível para o descanso e fuga do isolamento. Para atender essa demanda, alguns donos de propriedades rurais ou moradores de comunidade têm buscado mais conhecimento sobre o turismo rural.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

“O turismo rural é uma fonte de renda não só para uma pessoa, mas para toda a comunidade. Porém, para que ele aconteça, é preciso ter planejamento, que inclui: formatação de roteiro, passando por várias casas que ofereçam o café da manhã, uma atividade ecológica, um banho de cachoeira, refeições, translado, dentre outros itens. Mato Grosso é riquíssimo nisso, mas infelizmente falta planejamento. As pessoas não têm conhecimento para começar, uma vez que o turismo depende tanto de planejamento quanto de entender sobre o meio ambiente e atendimento às pessoas”, explica Adelaido de Azevedo, turismólogo especialista em planejamento rural e instrutor junto ao Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT).

Regiões próximas à capital mato-grossense, como as dos municípios de Nobres e Chapada dos Guimarães, possuem potenciais ainda inexplorados para o turismo rural. A falta de políticas de fomento à atividade, investimento e capacitação têm sido as barreiras que atrapalham seu desenvolvimento.

“O turismo rural agrega valores e toda comunidade lucra, mas não estamos sabendo explorar. Faltam pessoas com expertise em turismo para colocar em prática esse potencial. Nobres é um exemplo de potencial para o turismo rural, fonte de belezas naturais e cachoeiras. Chapada também é rica para o segmento, mas a política de turismo da cidade não está atenta a isso e não sabe explorar de acordo com o que o turismo rural requer”, aponta Adelaido.

Conhecida por concentrar cachoeiras e trilhas ecológicas, Chapada dos Guimarães pode ir além disso, segundo o turismólogo. “As políticas do turismo local concentram-se na divulgação das cachoeiras e esquece do potencial das comunidades rurais. São localidades que podem proporcionar roteiros riquíssimos de esporte, de aventura, passeio rural, pousada, camping e plantação medicinal, mas as pessoas ficam com medo de investir um pouco e não dar certo”, lamenta o especialista.

“Está voltando aos poucos”, relata empresária
Uma das moradoras de Chapada que acreditou e investiu nesse potencial é Derzina Oliveira de Paula, 53 anos, proprietária do Camping da Deuza, localizado a aproximadamente 110 km da capital. A ideia de um espaço para o lazer ao ar livre que agrega passeios aos pontos turísticos da redondeza surgiu após conhecer o turismo rural em um curso de capacitação.

“Vi que tínhamos condição de viver de turismo, compramos a chácara e investimos. Com a pandemia, tivemos que fechar, mas está voltando aos poucos”, conta a empresária.

O espaço de camping também oferece refeições típicas, como café da manhã caipira, e está próximo da caverna Aroe-Jari, a maior caverna de arenito do Brasil. Antes da pandemia, o local chegou a receber público de 120 pessoas em um único final de semana. Nessa retomada das atividades, a média está em torno de 15 pessoas. “Para o fim do ano espero um movimento bom e tudo dentro das recomendações de segurança”, reforça Derzina.

Uma estadia com o passeio no camping da Deuza pode custar entre R$ 230 e R$ 250, variando conforme as atrações turísticas escolhidas. Reservas podem ser feitas através dos telefones (66) 99929-1018 ou (66) 99684-4289.

CAPACITAÇÕES - Desde 2016, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT), em parceria com os sindicatos rurais, disponibiliza em seu portfólio diversos treinamentos voltados ao turismo rural. Dentre eles estão: excelência no atendimento do turismo rural, implantação de trilhas e caminhadas no turismo integrado, oportunidades de negócios e economia criativa e planejamento para implantação do turismo rural.

Após a pandemia, o número de interessados pelo curso cresceu consideravelmente. A instrutora Kathiuscia da Costa Camargo, do treinamento de implantação de trilhas e caminhadas no turismo integrado, explica que o treinamento vai além do básico para a atividade. "Além de ensinar como conduzir o turista, como formatar trilhas, o curso oportuniza o acesso ao conhecimento das riquezas naturais pelas pessoas da própria comunidade".

search