Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,92
Dollar R$ 5,44 Euro R$ 5,92

Economia Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2020, 07:30 - A | A

Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2020, 07h:30 - A | A

INCENTIVOS

Indústria pede ‘ajuda’ do Estado para aliviar efeitos da pandemia

Priscilla Silva

O custo de produção da indústria em Mato Grosso registrou alta de quase 35% durante a pandemia de 2020, segundo a Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá (Aedic). O encarecimento da produção é observado em todo país, mas em Mato Grosso o setor pode ter um agravante. No dia 1º de janeiro de 2021, as empresas participantes do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic) terão redução em seus incentivos fiscais. Para evitar mais prejuízos, o setor tenta adiar esse corte para o fim de 2021.

“No final de 2019, foi deito um acordo com o governo do Estado para baixar 5% dos incentivos e em 2021 baixar mais 5%. O que acontece é que com a pandemia deste ano, por mais que tiveram indústrias que venderam mais, os custos aumentaram estrondosamente e isso não foi repassado ao consumidor. Por isso pedimos que o governo mantenha esse mesmo percentual de 2020 para 2021”, defende Margareth Buzetti, presidente da Aedic.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

A indústria de bebidas, por exemplo, as empresas que produzem sucos e refrigerantes possuem hoje um incentivo de 70% do ICMS para suas operações internas. Em janeiro de 2021 esse benefício passa para 65%.

Apesar de pequena, essa diferença se soma ao encarecimento de custo é a matéria-prima. Vários segmentos da indústria mato-grossense tiveram dificuldades em manter sua linha de produção por escassez de insumos, o que levou a um aumento nos preços de insumos e matérias-primas. Segundo Margareth, essa alta não foi repassada aos consumidores e foi absorvida compensada com a redução da margem de lucro dos empresários.

Por ter contido os reajustes deste ano, a retirada de 5% nos incentivos fiscais em janeiro pode ser insustentável para algumas empresas, aponta a representante do setor. Diante disso, a associação que representa as empresas do Distrito Industrial de Cuiabá encaminhou um ofício à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec) nesta semana, pedindo a prorrogação dos incentivos do Prodeic até 2021.

A solicitação será analisada nesta sexta-feira (18), na última reunião do Conselho Deliberativo dos Programas de Desenvolvimento de Mato Grosso (Condeprodemat). O colegiado, presidido pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, é quem delibera sobre o programa.

“O governo estadual ajustou as contas neste ano e tem condições de dar esse suporte devido à situação atípica deste ano. Acreditamos no bom senso do governador, que também é empresário e sabe ler os números. A indústria agora precisa ser olhada com mais carinho para não fechar e perder sua competitividade diante das outras regiões do país”, pede Margareth Buzetti.

Caso o pedido da associação seja acatado, o benefício não atenderá apenas as empresas instaladas no Distrito Industrial de Cuiabá, mas se estenderá a todas as participantes do Prodeic.

search