Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76
Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76

Brasil Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2021, 13:30 - A | A

Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2021, 13h:30 - A | A

APÓS ATAQUE HACKER

Queiroga diz que Conecte SUS voltará funcionar até quarta

g1

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (20) que o Conecte SUS – plataforma com dados de saúde dos brasileiros e que mostra comprovantes de vacinação contra a Covid-19 – deve ser restabelecido até esta quarta (22).

Segundo Queiroga, a nova previsão foi informada pelos técnicos que trabalham para recuperar o sistema.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

O aplicativo e o site do Conecte SUS foram derrubados por um ataque hacker no último dia 10. De acordo com o governo, houve novas tentativas de invasão nos dias seguintes. Os dados de vacinação contra Covid, no entanto, já foram recuperados.

"Então, fomos vítimas de um ataque de hackers, né. São criminosos e estamos trabalhando fortemente, dia a dia, pra retornar o Conecte SUS. A expectativa, eu nao quero aqui cravar, né? Porque eu já falei que voltaria semana passada, sofremos um ataque de hackers um pouco depois, um outro, né. A impressão que me foi passada pelos técnicos é que até quarta-feira estaria solucionado", declarou Queiroga.

Ataques à Anvisa
O ministro também comentou as ameaças de morte sofridas por servidores e diretores da Anvisa, nos últimos dias, por grupos contrários à vacinação de crianças contra a Covid.

"São ações de criminosos que ameaçam os funcionários públicos. Eu mesmo sofro ameaças, também, e a gente está trabalhando aqui firme pra resolver o problema da pandemia. Mas são ações que devem ser resolvidas pela PF", disse.

Queiroga foi questionado diretamente sobre a responsabilidade de Jair Bolsonaro nesses ataques – o presidente é contrário à vacinação infantil e fez discurso em tom intimidatório depois que a Anvisa anunciou a liberação da vacina da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos, na última quinta (16).

"Não sei se são os diretores e o presidente que chegaram a essa conclusão ou é o tal do corpo técnico, mas, seja qual for, você tem o direito de saber o nome das pessoas que aprovaram aqui a vacina a partir dos cinco anos para o seu filho. (...) Agora mexe com as crianças. Então quem é responsável é você pai. Tenho uma filha de 11 anos. Vou estudar com a minha esposa qual decisão tomar", disse Bolsonaro em transmissão ao vivo.

O ministro da Saúde afirmou que é a favor da divulgação dos nomes dos técnicos, mas não disse se vê relação entre a postura do presidente e os ataques ao corpo técnico da Anvisa.

"O serviço público é caracterizado pela publicidade dos seus atos. Então, todos os técnicos que se manifestam em processos administrativos, têm que ser publicizados os atos, a não ser aqueles atos que são mais restritos. Mas não há problema em se ter publicidade dos atos da administração, acredito que isso é até um requisito da Constituição", declarou.

search