Dollar R$ 5,43 Euro R$ 5,93
Dollar R$ 5,43 Euro R$ 5,93

Brasil Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2020, 17:27 - A | A

Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2020, 17h:27 - A | A

Brasil

Intolerância gera violência, diz Aras sobre campanha por diálogo e diversidade

IG - Nacional

source
.
Antonio Augusto/Secom/PGR

Augusto Aras

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

O procurador-geral da República, Augusto Aras , disse que a intolerância gera violência e que o Brasil não precisa de "gestos ou palavras impregnados de ódio". A declaração foi dada durante o lançamento de um projeto do liderado por órgãos, como o Ministério Público Federal (MPF), para promover a cultura dodiálogo e respeito à diversidade nesta quina-feira (10).

"Não precisamos de barricadas, fogueiras, nem de gestos ou palavras impregnadas de ódio. A intolerância gera um ambiente de crescente violência em que todos perdem a razão e os mais vulneráveis são os que mais padecem", afirmou Aras.

De acordo com o MPF, o programa prevê a criação de uma rede de entidades composta pelo MPF, Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Escola  Superior do Ministério Público da União (ESMPU) e organizações do terceiro setor que atuam na defesa dos direitos humanos, especialmente na defesa dos direitos de minorias como as populações negras, mulheres e a comunidade LGBTQI+.

Uma campanha publicitária sobre o assunto está prevista para ser lançada em 2021. No ano que vem, Aras deverá viajar pelo país para ampliar arede.

O lançamento da campanha acontece em meio ao afunilamento do inquérito conduzid opelo MPF e pela Polícia Federal sobre os chamados atos antidemocráticos, em que blogueiros, empresários e políticos bolsonaristas estão sendo investigados pelo suposto financiamento demanifestações contra autoridades e instituições democráticas.

Reportagens publicadas pelo jornal "O Estado de S. Paulo" na semana passada indicam que, em depoimento, youtubers bolsonaristas afirmaram faturar até R$ 100 mil por mês fazendo uso de informações repassadas por assessores próximos ao presidente Jair Bolsonaro.

search