Dollar R$ 5,45 Euro R$ 5,83
Dollar R$ 5,45 Euro R$ 5,83

Boca Miúda Quinta-feira, 04 de Novembro de 2021, 17:43 - A | A

Quinta-feira, 04 de Novembro de 2021, 17h:43 - A | A

SHOW DA MICHELLY

Em 11 meses, vereadora coleciona polêmicas

Da Redação

Redação | Estadão Mato Grosso

A vereadora Michelly Alencar (DEM), em seu primeiro ano como política, tem dado um exemplo do que não fazer como parlamentar. Uma das poucas mulheres no legislativo municipal, a jovem política prefere acumular polêmicas a demonstrar seu potencial político.

Eleita com 2.841 votos, Michelly logo em janeiro após ser diplomada vereadora, decidiu tirar férias do cansaço pós-posse e foi curtir uns dias de férias nas praias do litoral nordestino, mesmo com a pandemia em alta naquele mês. A democrata ficou 15 dias curtindo o descanso "merecido" com a família.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

Já em abril, durante a sessão ordinária, Michelly fez passos de 'sarrada' durante uma sessão virtual da Câmara Municipal. O caso ganhou repercussão nacional, pois, enquanto colegas debatiam assuntos de interesse da sociedade cuiabana, a jovem Michelly dançava numa boa.

Na época, por meio de nota Michelly, se explicou alegando que deixou a câmera do notebook ligada, tinha ido ao banheiro e ao retornar, brincou com a assessora sobre as novidades do Tik Tok.

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

No dia 02 de novembro, feriado de finados, Michelly foi parada em uma blitz e teve o seu veículo Jeep Renegade Sport 2017/2018 apreendido por atraso na documentação.

Parece que mesmo diante de tantos exemplos de irresponsabilidade, a jovem vereadora empolgada no sucesso, causou mais uma polêmica. Na sessão desta quinta-feira (04) Michelly durante sua fala no pequeno expediente citou que na saúde municipal tem uma organização criminosa.

"Nós estamos acompanhando muito de perto porque ali tem uma organização que tem atuado de forma criminosa com relação aos recursos públicos", disse. Além disso, o vereador Sargento Vidal (Pros) criticou a colega por espalhar fake news.

"As pessoas me mandam aqui. A cassação do prefeito de Cuiabá vai depender do tamanho do cheque que os vereadores receberem. Como assim, tem um cheque aí? Eu não recebi o meu. Onde está esse cheque? Tem que perguntar para a vereadora Michelly Alencar que divulgou isso nas redes sociais dela, denegrindo todos os demais vereadores, porque ela está afirmando que tem um cheque[...] Isso fere o Artigo 92 do código de ética da casa. Isso é quebra de decoro", disse Vidal.

A partir dessa fala, a vereadora 'causou' exigindo direito de resposta alegando que era ela a ofendida da situação, mesmo tendo ela compartilhado uma fala de que colegas estavam sendo comprados para não aprovar uma comissão processante contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). A sessão logo foi para o lado da baixaria e após Michelly e os amigos Dilemário Alencar (Podemos) e Diego Guimarães (Cidadania) não atenderem o pedido de ordem proposto pelo presidente Juca do Guaraná (MDB), a sessão foi encerrada.

search