Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76
Dollar R$ 5,38 Euro R$ 5,76

Política Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2021, 11:00 - A | A

Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2021, 11h:00 - A | A

PROJETO NA CÂMARA

Emanuel promete vetar Dia do Orgulho Hétero: "Violência contra os direitos humanos"

Felipe Leonel

Repórter | Estadão Mato Grosso

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) prometeu vetar o projeto de lei, aprovado em primeira votação pela Câmara de Cuiabá, que cria o ‘Dia do Orgulho Hétero’. Em entrevista nesta quinta (30), Emanuel afirmou que o projeto “carece de propósito” e que o autor da medida, vereador Marcos Paccola (Cidadania), encerra o primeiro ano do mandato de forma “melancólica”.

De acordo com Emanuel, o vereador será lembrado pelo projeto de lei e também por ter votado contra a isenção da taxa de lixo para 35 mil famílias.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

“A minha esperança é que os vereadores arquivem esse absurdo, essa violência contra os direitos humanos, contra os direitos individuais e da dignidade da pessoa humana. É uma violência em todos os aspectos, é despropositado, inoportuno e que não tem sentido. Leva o ano inteiro inaugurando seu mandato para ser lembrado pelo dia do orgulho hétero”, disse.

A segunda votação para aprovar o Dia do Orgulho Hétero na Câmara Municipal de Cuiabá foi travada por um pedido de vistas feito pelo vereador Adevair Cabral (PTB), na última sessão antes do Natal, na quarta-feira (22).

O projeto foi aprovado na primeira votação com 15 votos e apenas um contrário, o da vereadora Edna Sampaio (PT). Ela usou suas redes sociais para dizer que o Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTQIA+ no mundo. Na primeira votação, o próprio Adevair votou favorável ao projeto, que só deve ter a segunda apreciação na próxima sessão.

search