Dollar R$ 5,43 Euro R$ 5,93
Dollar R$ 5,43 Euro R$ 5,93

Política Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 11:32 - A | A

Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 11h:32 - A | A

CONVERSA FIADA

Abílio não acredita que Carlos Bolsonaro dispute o Senado por MT

Bruna Cardoso

Repórter | Estadão Mato Grosso

Tarley Carvalho

Editor-adjunto

O deputado federal e pré-candidato a prefeito de Cuiabá, Abílio Brunini (PL), não acredita na possibilidade de Carlos Bolsonaro (PL-RJ) migrar seu domicílio eleitoral para disputar o Senado por Mato Grosso em 2026. O carioca é o “Filho 02” do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e teve seu nome envolto neste boato em matéria da Folha de S. Paulo nesta terça-feira, 09.

“Eu não acredito nem que ele venha... eu acredito que isso é mais conversa nacional e tudo mais. [...]Eu acho que ele vai ser candidato a vereador lá. Ele vai ficar no Rio de Janeiro, pode ser que ele venha candidato ao Senado ou deputado do Rio. Mas eu não acho que ele venha pra cá não”, opinou na manhã desta quarta-feira, 10, enquanto acompanhava a sessão plenária da Assembleia Legislativa.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Ainda na avaliação do parlamentar, esses boatos nacionais surgem porque os senadores por Mato Grosso não estão representando os interesses de sua população. O resultado das eleições mostra que os mato-grossenses são, por maioria, de direita. Porém, segundo Abílio, os senadores não representam esse viés político.

“[O boato] surge num momento de que está demonstrando que o estado de Mato Grosso está buscando um distanciamento de algumas das pautas de direita. Então, quando a gente percebe que a classe política está buscando um distanciamento dessas pautas da direita, figuras políticas externas começam a fazer uma certa manifestação pra possivelmente mostrar ‘ó ou vocês tomam o caminho que a população deseja, porque a maioria da população mato-grossense é de direita, ou as figuras políticas vão ser renovadas’”, avaliou também.

SENADO INEXISTENTE
O deputado também avaliou a relação entre os Poderes. A interferência do Judiciário, principalmente do Supremo Tribunal Federal (STF), em assuntos de competência do Congresso Nacional tem sido criticada não só por políticos da direita, mas do centro também.
Sem papas na língua, Abílio “enterrou” o Senado. Para ele, o comportamento omisso da Casa perante as investidas do STF a coloca numa situação de inexistência.

“A principal pauta de 2026 é o equilíbrio entre os Poderes. Esta é a principal pauta. Como que o Senado vai voltar a existir? Porque hoje há uma subordinação no Senado e há uma é uma certa omissão em determinados casos. Então, o que a gente está precisando é que os senadores tenham é uma postura de enfrentamento ao respeito ao Parlamento. Não dá mais pro Parlamento criar leis e essas leis serem derrubadas pela minoria no STF”, pontuou.

Abílio ainda criticou a postura dos senadores Jayme Campos (UB) e Margareth Buzetti (PSD). Sem críticas diretas, o deputado também não pareceu muito contente com a postura de seu correligionário e ex-presidente estadual do PL, senador Wellington Fagundes, citando que ele “tem momentos”.

“Hoje nós não temos senadores no estado de Mato Grosso, com exceção do Wellington e os momentos que ele faz o seu posicionamento, nós não temos senadores que defendam essas pautas. Nós percebemos uma entrega do Jayme, por exemplo, ao governo federal. A Margareth também não tem feito o enfrentamento necessário ao Governo Federal, até mesmo por causa que o Favaro é o titular da pasta. Então a gente percebe que há uma ausência dessas figuras políticas que façam a defesa do Parlamento no Legislativo”, afirmou.

search