Dollar R$ 5,46 Euro R$ 5,97
Dollar R$ 5,46 Euro R$ 5,97

Polícia Sábado, 25 de Janeiro de 2020, 17:30 - A | A

Sábado, 25 de Janeiro de 2020, 17h:30 - A | A

SEGURANÇA PÚBLICA

Risco de morte em Mato Grosso está menor

Apesar de alto, o número representa um índice de 24,19 mortes a cada 100.000 habitantes, a menor taxa registrada no período de 10 anos

Tarley Carvalho

O estado de Mato Grosso está mais seguro para se viver. É o que aponta o relatório da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SESP), que apurou o número de assassinatos em 2019. No total, 842 pessoas perderam suas vidas vítimas de homicídio. Apesar de alto, o número representa um índice de 24,19 mortes a cada 100.000 habitantes, a menor taxa registrada no período de 10 anos. Em 2018, foram 961 casos registrados, o que representou 26,61 mortes a cada 100.000 habitantes.

O relatório apontou que os homens continuam sendo os mais envolvidos em violência, sendo 89,7% das vítimas. Ao todo, 87 mulheres foram vítimas de homicídio, sendo 39 registrados como feminicídio, ou seja, pelo fato de ser mulher, que acontece – de forma bem prática – quando o homem acha que possui direitos sobre mulheres com as quais convive, sejam elas parceiras ou outro tipo de relacionamento.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

De acordo com a Sesp, a redução foi possível porque investigadores mapearam as motivações que levam a esse tipo de crime. Os principais fatores identificados foram desajustes sociais, crime organizado, crimes passionais, conflitos agrários e uso de drogas lícitas e ilícitas.

Uma das medidas para combater esse tipo de crime foi a ação realizada na Penitenciária Central do Estado (PCE) em que os agentes retomaram o comando da unidade, tirando o poder das facções criminosas.

CRIME DE ÓDIO

Apesar de haver motivos para comemorar em relação aos crimes como um todo, os crimes de ódio contra pessoas LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) aumentaram. No total, foram registradas 139 ocorrências por crimes LGBTFóbicos, um aumento de 26% em relação a 2018, que registrou 110 casos.

Os meses mais perigosos para essas pessoas foram setembro e novembro, com 17 casos cada um. Em dezembro, foram registrados 16 casos e, em agosto, 15 casos.

search