Dollar R$ 5,42 Euro R$ 5,83
Dollar R$ 5,42 Euro R$ 5,83

Opinião Sexta-feira, 22 de Outubro de 2021, 17:43 - A | A

Sexta-feira, 22 de Outubro de 2021, 17h:43 - A | A

VANESSA MORAES

Ouvido humano não foi feito para escutar som alto

Vanessa Moraes*

Embora os ouvidos tenham reflexos que os protegem contra certos tipos de ruídos, não há nada que possa ser feito quando o nível desse barulho está acima de 120 dB (decibéis). Quanto maior o som, menor deve ser o tempo de exposição para que não ocorra a perda auditiva.

- FIQUE ATUALIZADO: Receba nosso conteúdo e esteja sempre informado. Em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

O ruído pode estar presente no trabalho, no lazer e também em situações do dia a dia de nossa vida. O estilo de música que se escuta é irrelevante. Temos que considerar que é o período de tempo que se passa ouvindo o som alto, pois desse modo os músculos dos ouvidos irão ficar “estressados” e consequentemente “cansados”, limitando nossa capacidade de ouvir. E quanto mais nos expomos a altos ruídos, maior será o nosso risco de obter prejuízos auditivos permanentes.

- FIQUE ATUALIZADO: Para entrar em nosso canal do Telegram (clique aqui)

Um show de rock pode chegar até 119 dB, favorecendo prejuízo à audição, tanto temporária quanto permanente. Pesquisas têm comprovado que o uso do fone de ouvido aumenta o risco de prejuízos e perda auditiva e atualmente muitos jovens usam por um longo tempo e em alto volume.

Uma conversa pode atingir níveis de intensidade de até 69dB, um aspirador de pó até 79dB e uma motocicleta até 99dB.

Em uma metalúrgica, os funcionários podem estar expostos a ruídos até 102dB. O uso de protetores nos ouvidos nesses trabalhadores é fundamental e obrigatório, sendo a única maneira de prevenção. Exames periódicos de audição também fazem parte do programa de saúde do trabalhador e devem ser monitorados a cada 6 ou 12 meses, conforme a conduta do médico do trabalho responsável pela empresa.

E quando referimos ao lazer, a conscientização dos malefícios da perda auditiva deve ser avaliada. Aos jovens, nosso alerta da prevenção! Às crianças, através do celular, é possível limitar a intensidade do volume de seus fones de ouvido.

Considerando que a partir dos 45 anos de idade pode iniciar a perda auditiva devido ao envelhecimento natural das células do ouvido, patologia denominada Presbiacusia, o ruído passa a ser uma grande e preocupante causa aceleradora da perda auditiva.

Os impactos da perda auditiva são muitos. E somente com o uso de aparelhos auditivos adequados é que conseguimos reabilitar a audição.

Ah, aproveito para deixar aqui os limites de tolerância ruído contínuo e tempo máximo de exposição:

85dB-------------8 horas

88dB-------------4 horas

91dB-------------2 horas

94dB-------------1hora

97dB-------------30 minutos

100dB-----------15 minutos

103dB-----------7,5 minutos

106dB-----------3,5 minutos

 

Mais uma vez, a prevenção deve ser praticada para uma longevidade saudável.

*VANESSA MORAES é fonoaudióloga e audiologista

search