Dollar R$ 5,42 Euro R$ 5,83
Dollar R$ 5,42 Euro R$ 5,83

Judiciário Segunda-feira, 08 de Novembro de 2021, 15:50 - A | A

Segunda-feira, 08 de Novembro de 2021, 15h:50 - A | A

CASO ISADORA

Audiência não é realizada e família permanece em "campana" aguardando devolução de menina

Felipe Leonel

Repórter | Estadão Mato Grosso

A defesa de Marina Pedroso, mãe da menor Isadora, ‘raptada’ pelo próprio, vai continuar na 1ª Vara da Infância e Juventude de Cuiabá, aguardando o avô de Isadora devolver a menor à mãe, que está longe da filha há 113 dias após o pai pegar a criança para passar as férias e ter "fugido" para São Paulo.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Várias decisões judiciais já foram proferidas, tanto a favor da mãe, como do pai, sendo que a última beneficia a genitora. A criança havia sido localizada pela Polícia Rodoviária Federal e o avô, o defensor público Air Praeiro, foi notificado pela Justiça para devolver Isadora à mãe. Ocorre que ele ‘fugiu’ novamente, se recusando a devolver Isadora.

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso canal no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

A última decisão é da desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho, da Primeira Câmara de Direito Privado do TJMT, que determinou a Air Praieiro a devolução da menor em até 48 horas. A decisão é da última sexta-feira (5), mas o avô foi notificado somente na noite deste domingo (7).

A defesa, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que vai permanecer no juizado de “campana”, enquanto aguarda o comparecimento de Air Praeiro ou uma nova manifestação da Justiça. O paradeiro de Isadora segue incerto até o momento.

Diante das informações de que teria ‘fugido’ com Isadora, Air Praeiro divulgou nota na manhã desta segunda-feira (8), afirmando que estava querendo preservar a neta da exposição midiática e que nunca houve ‘fuga’.

“Jamais me furtaria de cumprir com uma determinação judicial, assim estou fazendo, sobretudo, porque acredito que o Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso tem competência para decidir o melhor para a Isadora”, disse.

search