Dollar R$ 5,57 Euro R$ 6,07
Dollar R$ 5,57 Euro R$ 6,07

Brasil Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2020, 15:57 - A | A

Quarta-feira, 23 de Dezembro de 2020, 15h:57 - A | A

Brasil

Prefeitos do litoral sul de SP vão fechar praias no réveillon

IG - Nacional

source
litoral
A Tribuna/Vanessa Rodrigues

Sábado de sol reúne centenas de pedestres na orla de Santos

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba informações em tempo real (clique aqui)

- FIQUE ATUALIZADO: Participe do nosso grupo no Telegram e fique sempre informado (clique aqui)

Os prefeitos das cidades da Baixada Santista, no litoral sul de São Paulo, anunciaram nesta quarta-feira (23) que vão fechar as praias nos dias 31 de dezembro e 1 de janeiro para evitar aglomerações e a disseminação da Covid-19 , cujos casos e óbitos estão em alta no estado de São Paulo.

A decisão foi tomada após a reunião dos prefeitos atuais e os eleitos das nove cidades da região que compõe o Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb).

Segundo o prefeito de Santos Paulo Alexandre Barbosa, que preside o Condesb, os municípios vão pedir o apoio da Polícia Militar para garantir o fechamento das praias.

Os mandatários das cidades do litoral também decidiram manter a região na fase amarela do Plano São Paulo, que trata da contenção do coronavírus , e que permite a abertura do comércio com horários específicos e lotação máxima de pessoas.

O anúncio vai contra a decisão do Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo, que colocou todo o Estado na fase vermelha entre os dias 25 e 27 de dezembro e 1 e 3 de janeiro. Nesta fase, somente serviços essenciais podem funcionar.

Na fase amarela, por sua vez, como pretendem fazer os prefeitos do litoral sul, shoppings, galerias e estabelecimentos comerciais podem abrir com ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local e horário reduzido de 10 horas. Além disso, praças de alimentação, ao ar livre ou em áreas arejadas, estão liberadas.Já os bares e restaurantes podem funcionar somente ao ar livre ou em áreas arejadas, com ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local, horário reduzido de 10 horas.

De acordo com o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, as medidas do governo estadual foram anunciadas em cima da hora e não houve tempo de planejamento.

search